Simplício Explica: direção elétrica

Para iniciarmos o nosso artigo, antes de entrarmos diretamente no funcionamento do sistema de direção elétrica, vamos abordar sobre a direção como um todo. O sistema de direção é um conjunto de órgãos mecânicos, que se articulam entre si, promovendo o movimento das rodas dianteiras nos sentidos laterais do veículo.


Basicamente o conjunto de direção é formado por: volante, árvore de direção, articulações de direção, caixa de direção e cremalheira. Ao ser acionado, o volante (direção mecânica comum) transmite movimentos rotativos por meio da árvore de direção para a caixa de direção que, através dos componentes mecânicos, transforma os movimentos rotativos em movimentos retilíneos. Através disso, as articulações do conjunto movimentam as rodas dianteiras na direção desejada.

 

 

Fonte: https://slideplayer.com.br/slide/10632607/


O sistema mais comum utilizado atualmente é o hidráulico. Quando o sistema está em repouso, ou seja, não está sendo solicitado pelo motorista, o óleo percorre por dois orifícios de dimensões iguais, aplicando uma pressão igual nos dois lados de um êmbolo, contido dentro de um cilindro, ligado ao mecanismo da direção. O acionamento da bomba hidráulica é feito pelo próprio motor do carro através de uma correia trapezoidal. O volante ao ser movido aciona uma válvula de distribuição que abre um dos orifícios e fecha o outro, assim o óleo exerce uma pressão sobre apenas um dos lados do êmbolo, diminuindo o esforço de giro da direção e orientando as rodas para o lado desejado. A pressão aplicada no êmbolo depende da força aplicada pelo motorista no volante.

 

Fonte: Casa da direção hidráulica


Entre a direção hidráulica e elétrica, existe o sistema de direção eletro-hidráulica, que tem o funcionamento semelhante ao da direção hidráulica. A direção fica mais leve graças à circulação de óleo no mecanismo tocado por uma bomba. A única diferença é que a bomba de óleo é acionada por um motor elétrico e não pelo motor do veículo, evitando perdas de potência causadas pelo sistema a correia.


Já a direção elétrica, como diz no próprio nome, é um sistema totalmente elétrico, independente do motor do veículo. O mesmo apresenta melhor eficiência na utilização de espaço no compartimento do motor, operação com menores impactos ao meio ambiente, maior flexibilidade do projeto e maior economia de combustível, graças à redução da perda energética causada pelo acionamento da correia como ocorre na direção hidráulica. Como não há óleo no sistema, junto à caixa de direção é fixado um motor elétrico que auxilia os braços da direção a ficarem mais leves. Mesmo se houver uma pane elétrica, o volante não travará, ficando somente mais pesado.

 

 

Fonte: Estadão 


Para exemplificar de forma técnica o funcionamento da direção elétrica, será usado o esquema elétrico do veículo Toyota Etios 2012 em diante (figura abaixo), encontrado no manual Electra do sistema SIMPLO. Um sensor de torque localizado na coluna de direção lê os movimentos e a pressão exercidos no volante do veículo, e assim que for detectada a rotação. Assim, o mesmo sensor envia um sinal de tensão (variando de 1,2 a 3,8 Volts) para os pinos D01 (volante a esquerda) e D09 (volante a direita) da unidade de comando da direção. A ECU então interpreta esses sinais e alimenta o motor elétrico localizado também na coluna de direção que auxilia na manobra, tornando o volante leve.

 

 

 

Fonte:

Leia também

Kyron SSANGYONG e outros modelos chegam aos manuais

Kyron SSANGYONG e outros modelos chegam aos manuais

20/05/2019

  Confira a lista de veículos inseridos nos manuais SAS do Simplo, na atualização 2019/2.   CHEVROLET Celta 1.0 de 2015 - ME 17.9.6/MEA1X FIAT Punto 1.4 de 2012 em diante…

Saiba mais
Simplício Explica: injeção direta

Simplício Explica: injeção direta

04/05/2019

Fonte: KBB Brasil   Inicialmente introduzida nos veículos a Diesel, a injeção direta vem ganhando espaço em toda a indústria automotiva, trazendo uma nova geração…

Saiba mais
Simplo Manuais Técnicos Automotivos