SIMPLÍCIO EXPLICA: CÂMBIO DSG

O câmbio de dupla embreagem é uma variação do sistema de fricção com disco seco (fricção entre dois discos). Essa tecnologia também pode utilizar o atrito dos discos para transmitir a energia do motor para as rodas, porém, neste caso, é adicionado óleo para refrigeração aos componentes. O óleo aumenta a capacidade térmica da embreagem, pois uma vez que é aquecido, a mesma troca calor com o óleo. Outra característica está no arrasto, que devido à utilização de óleo, é maior em relação à embreagem seca. 

 

Fonte: VW 

  

A dupla embreagem, como já diz em seu nome, possui dois discos de embreagem formando um só conjunto, uma para marchas pares e outra para marchas ímpares e ré. Seu acionamento não é feito por pedal como na embreagem seca, sim por atuadores hidráulicos comandados pela ECU do câmbio, que realiza as trocas de forma suave. Esse sistema sempre deixa a próxima marcha engatada, e o que reduz consideravelmente a interrupção do torque, algo comum nas embreagens comuns.

 

Fonte: VW (DQ250) 

  

Para que você possa entender de forma mais simplória, esse sistema se trata de duas transmissões manuais com eixos em paralelo. Essa configuração é encontrada nos câmbios DSG´s mais comuns que foram lançados no VW Golf e no Audi TT em meados de 2003, batizados de DQ 250 a DQ 511. Os mesmos permanecem até hoje em versões que suportam até 61,2 kgfm de torque. 

 Em 2008, a empresa Luk lançou o câmbio DSG DQ 200 com sete marchas e que suporta apenas 25,5 kgfm de torque. Seu desenvolvimento abasteceu as linhas do VW Golf e do Audi A3 Sedan 1.4 TSi vendidos no Brasil até 2015, e permanece ainda hoje no modelo A1 da marca alemã. 

O funcionamento do DQ 200, diferentemente dos outros, é feito por um platô, com uma embreagem dentro da outra, mostrado na figura abaixo. Dessa forma o câmbio se tornou menor, mais leve e menos complexo. O fato de possuir um único platô, torna o seu torque ser consideravelmente mais baixo e melhoram a dissipação do calor. Isso permite que o fabricante retire o óleo que banhava as engrenagens e outros componentes relacionados ao sistema como, radiador de óleo, filtro e etc., mantendo apenas uma quantidade para arrefecer atuadores e engrenagens dentro da transmissão.

Fonte: VW (DQ200)

A VW do Brasil decidiu deixar de usar o câmbio DQ 200 no Brasil em função dos problemas encontrados ao longo do tempo, devido aos pisos irregulares em nosso país. Hoje é oferecido o câmbio automático da marca nipônica Aisin, que equipa os modelos Polo, Virtus e Golf.

Outro fator determinante para a VW desistir do câmbio DSG é a manutenção deste tipo de transmissão, que é cara e de dificuldade extremamente elevada. Todo o sistema mecatrônico encontrado nestes câmbios é de alta tecnologia e demanda de um conhecimento técnico avançado dos profissionais de reparação.

 

 

Fonte:

Leia também

Volkswagen domina últimas atualizações dos Manuais de Injeção Eletrônica da Linha Leve

Volkswagen domina últimas atualizações dos Manuais de Injeção Eletrônica da Linha Leve

13/03/2019

Abaixo você confere a lista de veículos organizados por marca, que receberam atualizações nos últimos meses nos manuais técnicos automotivos de Injeção…

Saiba mais
Manual de motores da Linha Leve ganha 27 upgrades e 20 veículos novos de 13 montadoras diferentes

Manual de motores da Linha Leve ganha 27 upgrades e 20 veículos novos de 13 montadoras diferentes

19/02/2019

Abaixo você confere a lista completa dos veículos inseridos no Manual de Motores da Linha Leve do Simplo nos últimos dois meses:   CHERY   Tiggo 2.0 2008 em diante -…

Saiba mais
Simplo Manuais Técnicos Automotivos